Um ser anormal (I)

 
 
 
 
 
A temperatura está quente, deparo-me a olhar para aquela luz imensa da qual chamam de sol, e é sobre aqueles segundos que reparo que ávista tem uma luz imensa amarelada, mas lá no fundo quando a vemos, o nosso olhar fica turvo, deixamos de ver aquela coisa bela e passamos a ver um monstro brilhante e grande que nem o

conseguimos ver de frente.  

   Na minha vida cruzou-se um monstro desses ou ainda pior, a diferença é que é um monstro de apareça normal, mas por dentro é arrogante, mau com um coração frio, gelado, ou mesmo sem ele.

 Só quero é que esse bicho me deixe, que siga um rumo diferente do meu,  fez de mim o que queria, dei-lhe tudo o que podia, e depois o que aconteceu? sua voz fina virou um rugido, as suas unhas viraram garras e o seu coração virou uma pedra rija e inquebrável, e aí deu para ver que realmente era, um monstro!
A minha felicidade esconde-se debaixo dessa capa peluda e negra, enquanto este fecha os botões dessa capa, para eu cada vez ter menos possibilidades de a conquistar.
publicado por inesf às 21:38 | link do post | comentar